Doenças Crônicas Saúde e Bem-estar

Hipertensão e obesidade: Qual é a relação?

Por:  

Daiichi Sankyo Brasil

16 de maio, 2022

3

A hipertensão arterial, também conhecida como pressão alta, é uma doença crônica que atinge muitos brasileiros. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), 30% da população adulta no Brasil possui pressão arterial elevada.¹

A obesidade também atinge uma grande porcentagem de brasileiros: a pesquisa Vigitel do Ministério da Saúde apontou que 1 a cada 5 brasileiros são obesos.² O que será que esses dados têm em comum?

Qual a relação entre a obesidade e a hipertensão arterial?

Tanto a obesidade quanto a hipertensão possuem diversas causas e podem estar relacionadas uma à outra, isso porque ambas costumam possuir fatores de risco em comum, como o sedentarismo e alimentação pouco saudável.¹

O excesso de massa corporal pode ser responsável por até 78% dos casos de pressão alta. A obesidade também pode causar modificações hormonais, como o aumento da insulina e uma maior retenção de sódio, fatores que prejudicam os níveis de pressão arterial do corpo.³

A obesidade abdominal é a que está mais associada à elevação da pressão arterial e um excesso de 20% do peso normal pode aumentar a incidência de hipertensão em até 8 vezes.⁴

Como prevenir a obesidade e a hipertensão?

1) Faça check-ups frequentemente

O recomendado é que a pressão seja verificada em todos os atendimentos médicos. Pessoas saudáveis deve tem a pressão medica pelo menos uma vez ao ano. Já indivíduos com algum fator de risco podem precisar de avaliações mais freqüentes, conforme estabelecido pelo médico. Não deixe de fazer seus exames na frequência indicada, pois é somente através deles que seu médico poderá dar as orientações corretas para sua saúde.¹

2) Cuida da sua alimentação com acompanhamento

Uma das principais indicações para a obesidade e a hipertensão é uma alimentação saudável e equilibrada, evitando o consumo excessivo de sódio e priorizando alimentos naturais, como frutas e verduras.¹

Porém, é importante que essa alimentação seja indicada por um profissional especializado. Dietas restritivas podem prejudicar sua saúde e causar o “efeito sanfona”, que é a perda e ganho de peso rapidamente. Esse efeito pode deixar o metabolismo mais lento e favorecer o acúmulo da gordura corporal. Por isso, é importante fazer um acompanhamento adequado.⁵

3) Faça exercícios físicos

Outra indicação importante para a prevenção é a prática frequente de exercícios físicos, que também deve ser prescrita e acompanhada por profissionais de educação física, para evitar riscos à saúde.¹

4) Adote práticas mais saudáveis no seu dia a dia

Controlar o estresse e evitar o consumo de álcool e cigarros também faz parte do tratamento de obesidade e hipertensão. Portanto, procure adotar hábitos mais saudáveis no seu dia a dia.¹

Se você gostou das nossas dicas, não se esqueça de continuar acompanhando o blog Pílulas de Saúde e compartilhar o texto em suas redes sociais.

Fontes:

1. Barroso WKS, Rodrigues CIS, Bortolotto LA, et al. Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial – 2020. Arq Bras Cardiol. 2021;116(3):516-658.
2. Brasil. Ministério da Saúde. Vigitel Brasil, 2016: Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico. Brasília;2016.
3. Shariq OA, McKenzie TJ. Obesity-related hypertension: a review of pathophysiology, management, and the role of metabolic surgery. Gland Surg. 2020;9(1):80-93. doi:10.21037/gs.2019.12.03
4. Suplicy, HL. Obesidade visceral, resistência à insulina e hipertensão arterial. Rev Bras Hipertens 2000;2:136-41.
5. Faria AL, et al. Impactos e consequências das dietas da moda e da suplementação no comportamento alimentar. Research, Society and Development, v. 10, n. 10, e441101019089, 2021.